Brasília, BSB - BR
Miami, MIA - USA
Londres LH - ING
Pequin PEK - CH

 
 

 

Ações junto ao SINDASP
 

Lourival Martins integra diretoria da SINDASP como 1º secretário.


Despachante Aduaneiro há mais de 20 anos, “Barrinha”, como é carinhosamente chamado, integra a diretoria do SINDASP como 1º Secretário.

Começou sua vida profissional aduaneira aos 13 anos, como office boy, em uma corretora de câmbio. Foi gerente em uma empresa de despachos aduaneiros e após o encerramento das atividades desta sociedade, no início dos anos 90, montou sua primeira empresa que ficou aberta até 2008, quando partiu para construir o patrimônio que tem hoje.

Primeiros passos profissionais
“Comecei como engraxate e quando comprei meu primeiro carro, uma caminhonete, eu e meu pai fazíamos transporte de pianos. Eu, literalmente, carreguei o piano nas costas!”

Uma carreira sólida
“Minha empresa é especializada em logística, gestão aduaneira e comércio exterior. Mas não fiz nada sozinho. Sou uma parte muito pequena de toda essa estrutura! Reconheço o valor dos meus colaboradores, que trabalharam e se empenharam para chegarmos onde estamos hoje. Falo da copeira, do gerente executivo, do diretor comercial, dos despachantes aduaneiros e do pessoal de campo. Somos todos responsáveis por este sucesso!”

O diferencial
“Sempre entendi que nossa política administrativa tinha que apresentar um diferencial. O nosso diferencial é a transparência, a lealdade, o comprometimento e total democracia dentro da empresa. É uma filosofia sábia, que deu e continua dando resultados.”

Percalços
“Uma questão que não apresentou muito resultado foi observar que alguns funcionários que estão comigo desde o início não cresceram junto com a empresa. Nós crescemos muito e nos profissionalizamos também, mas alguns funcionários não evoluíram, embora continuem voltados para a empresa e vestindo a camisa. Isso inviabiliza algumas tomadas de decisão. É a pior parte do negócio.”

Uma grande dificuldade profissional
“É você conseguir profissionais que tenham interesse, comprometimento; que sejam focados em comércio exterior. Essa é uma grande dificuldade, e não é só hoje, ao longo da minha história sempre convivi com isso. Nossa área é muito carente de bons profissionais, pois aqueles que têm esse perfil ocupam cargos de gerência ou diretoria no mercado. Faltam profissionais que vistam a camisa...”

O SINDASP e eu
“O sindicato entrou na minha vida pelo simples fato de eu gostar muito de futebol. Comecei a participar dos campeonatos promovidos pelo SINDASP. E fazíamos desses eventos uma festa, cujo público aumentava a cada edição. E fui fazendo mais amigos e adquirindo mais conhecimento sobre o sindicato. Até que fui convidado pelo atual presidente, na época candidato, Marcos Farneze, a participar da diretoria. A ideia amadureceu e hoje tenho muito orgulho de me apresentar como diretor do SINDASP, que é uma entidade muito reconhecida e representativa. Hoje eu contribuo com meus humildes conhecimentos e minhas experiências e não meço esforços para ajudar no que for necessário.”

Conquistas como Diretor – 1º Secretário
“A questão do posto da ANVISA de Congonhas, por exemplo, é uma luta! Houve resistência por parte de alguns diretores, mas o presidente confiou a mim a tarefa de lutar pelo posto. Participei de manifestações, reuniões, assembleias... Não diria que vencemos, mas tivemos uma vitória parcial, pois a ideia era fechar o posto em agosto, após a Copa. Porém, conforme informação extraoficial, até janeiro de 2015 continuará operando. (Ver SINDASP ONLINE 1ª Edição). Outra questão é estreitar o relacionamento entre fiscais, inspetores, delegados da Receita Federal e os despachantes aduaneiros. Estou imbuído e muito comprometido em encurtar essa distância e para isso elaboramos pesquisas junto aos Portos Secos e a Delegacia da RF do Tatuapé, uma ideia muito profícua do presidente Farneze, e muito bem aceita pelos senhores José Paulo Balaguer e João de Figueiredo Cruz, Delegado da Delex e Inspetor Chefe da Alfândega da RFB, respectivamente. O resultado dessas pesquisas está sendo tabulado e será entregue a esses titulares, com o principal objetivo de detectar deficiências e melhorar procedimentos. Estamos na busca do sucesso que a categoria merece.”

O despachante aduaneiro hoje
“O despachante aduaneiro tem que se modernizar, tem que se profissionalizar. E, o sindicato dos despachantes aduaneiros é uma entidade de classe que pode representá-lo perante qualquer órgão federal, estadual ou municipal. Só que para que o sindicato possa atuar, dependemos das informações que só o despachante pode nos fornecer, já que é ele quem está na linha de frente, é ele quem está vendo as dificuldades na cadeia logística e pode apontá-las. Além disso, precisam dar mais atenção às informações que o sindicato proporciona, que são muito valiosas para o nosso trabalho. O sindicato, que tem a obrigação de fornecer a melhor informação à categoria, e faz isso com muita competência, é o melhor meio para que o profissional possa se aperfeiçoar e para que tenha agilidade e menos dificuldades em seus processos.”





   
   
www.martinsdespachos.com.br - copyright 2008